Páginas

22 de maio de 2015

Noticia: André Corrêa se reúne com secretários de meio ambiente em encontro inédito pela preservação da mata atlântica


Estado do Rio é pioneiro em políticas públicas de conservação com desmatamento próximo a zero.

Desmatamento zero e aumento da cobertura vegetal da Mata Atlântica até 2018. Esse foi o tema central do inédito encontro de troca de experiências, realizado pela Fundação SOS Mata Atlântica, entre representantes de 17 estados brasileiros que pertencem a esse bioma. Em reunião realizada, nesta quarta-feira, no Palácio Guanabara, em Laranjeiras, o secretário estadual do Ambiente, André Corrêa, e o governador do Rio, Luiz Fernando Pezão, receberam os demais secretários de meio ambiente para debater inciativas, bem sucedidas, de preservação e restauração florestal desse importante ativo ambiental e econômico brasileiro.

Dados de monitoramento do Atlas da Mata Atlântica indicam que apesar do Brasil ter tido alta de 9% na devastação do bioma (entre 2011 e 2013), o Estado do Rio é vanguarda na conservação, com desmatamento próximo a zero.

“O desafio agora é ampliar a cobertura, que é um desafio difícil. Estamos pensando em criar um fundo de restauração florestal”. Para isso, o secretário André Corrêa revelou que já trabalha na formulação de uma nova modelagem de licenciamento que prevê que a obrigação de plantar se torne uma obrigação financeira:

”Esse novo mecanismo irá permitir que se faça uma plantação em maior escala e não mais fragmentada. Essa modelagem já existe para conservação de parques, mas agora estamos trabalhando num modelo para restauração”.

Mais tarde, após o encontro, os secretários participaram do evento Viva a Mata - Encontro Nacional pela Mata Atlântica, no teatro Tom Jobim, no Jardim Botânico, parte do calendário de eventos da SOS Mata Atlântica. A ministra do meio ambiente, Isabella Texeira, abriu a solenidade convidando os municípios e estados para trabalhar juntos no Cadastro Ambiental Rural, um levantamento inédito, que permitirá a restauração florestal em propriedades rurais.

O presidente da Fundação SOS Mata Atlântica, Pedro Luiz Passos, ressaltou os avanços alcançados na preservação de áreas verdes do Estado do Rio, graças a importantes iniciativas desenvolvidas pela Secretaria de Estado do Ambiente (SEA). Dentre elas estão: o Pagamento por Serviços Ambientais (PSAs) a produtores rurais, o cadastro ambiental rural (CAR), o ICMS Ecológico, os Planos Municipais da Mata Atlântica, a implantação de UPAMs (Unidades de Policiamento Ambiental) e a contratação de guardas-parques.

A diretora executiva da Fundação, Márcia Hirota, acrescentou que o encontro é uma grande oportunidade para se olhar para o futuro, traçar uma agenda estratégica, e criar uma nova história para a Mata Atlântica ao estimular o diálogo entre a sociedade civil, o poder público e a comunidade científica. “O Viva Mata vem permitir uma plataforma para troca de experiências com a criação de metas factíveis e com a participação do movimento ambientalista, de forma que se alcance resultados cada vez mais concretos na conservação”.

Nesta quinta-feira (14/5), a diretora vai apresentar, no seminário “A Mata Atlântica é aqui”, o novo mapa desse importante bioma, realizado em parceria com o Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), que não somente subsidiará todo esforço de proteção de áreas verdes, mas também promoverá a restauração florestal em áreas estratégicas para conservação. Na ocasião também serão abordados temas como a poluição na Baía de Guanabara e a importância das áreas naturais para a saúde e qualidade de vida nas cidades. Na sexta-feira, dia 15, o debate vai ser sobre os desafios da implantação do Novo Código Florestal.

Portal da Secretaria de Estado do Ambiente do Rio de Janeiro
14 maio 2015
http://www.rj.gov.br/web/sea/exibeconteudo?article-id=2430739

--
Observatório Soberania Ambiental
Nosso Ambiente!