Páginas

1 de abril de 2016

Mestrado Profissional em Rede Nacional para Gestão e Regulação de Recursos Hídricos - ProfÁgua


A partir de abril estarão abertas inscrições para o Mestrado Profissional em Rede Nacional para Gestão e Regulação de Recursos Hídricos, o ProfÁgua.

Lançado em 24 de novembro de 2015, durante o  XXI Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos (SBRH), em Brasília, o programa é recomendado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e coordenado pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp), o ProfÁgua.

Há mais de sete anos, a ANA tem investido esforços para apoiar a criação de um mestrado profissional em gestão e regulação de recursos hídricos, tendo em vista que uma das atribuições da Agência é estimular a pesquisa e a capacitação de recursos humanos para a gestão de recursos hídricos.

Público alvo

O mestrado é voltado para profissionais que atuam na gestão e regulação dos recursos hídricos e os trabalhos de conclusão do curso deverão ter um caráter de conhecimento aplicado, podendo ser no formato de manuais operativos, relatórios técnicos, aplicativos, patentes, artigos, sistemas ou mesmo dissertações. Com a iniciativa a ANA busca contribuir para a melhoria da gestão e regulação das águas do País.

Este curso busca proporcionar uma formação teórica e prática aos profissionais e pesquisadores da área de recursos hídricos para qualificá-los para lidar com os problemas associados às questões mais complexas da gestão e regulação das águas brasileiras.

Edital lançado

Em 22 de março, dia Mundial da Água, durante o Seminário sobre a Crise Hídrica e a Segurança de Barragens no Brasil, realizado pela ANA foi lançado o edital para o ProfÁgua. As inscrições estarão abertas de 25 de abril a 22 de maio através da página www.feis.unesp.br/#!/pos-graduacao/profagua/. A taxa de inscrição é de R$ 56.

Este mestrado profissional será coordenado pela Universidade Estadual Paulista (UNESP) e a primeira turma terá 114 vagas distribuídas em seis universidades públicas pelo Brasil:

28 vagas 20 vagas 18 vagas 16 vagas
16 vagas 16 vagas

A seleção será realizada por meio de um Exame Nacional de Acesso, que terá uma prova escrita, uma avaliação da proposta de plano de trabalho e prova de títulos. O curso é presencial, mas serão utilizadas tecnologias de informação e comunicação aplicadas a educação à distância (EaD) para parte das atividades. O prazo para realização do curso é de 24 meses. Acesse aqui o edital.

Calendário


Etapa Data
Lançamento do edital 22/03
Inscrições 25/04 a 22/05
Homologação das inscrições 17/06
Recurso 20 e 21/06
Resultado de recurso 24/06
Provas 02/07
Recursos das questões da prova e gabarito 04 e 05/07
Resultado do recurso 08/07
Resultado da prova 15/07
Recurso da 1ª fase 18 e 19/07
Resultado do recurso e resultado 1ª fase 22/07
Resultado da 2ª fase 25/07
Recurso 2ª fase 26 e 27/07
Resultado do recurso e resultado final 29/07
Matrícula 08 a 12/08
Início das aulas 22/08

Histórico
Em virtude da lacuna de formação avançada na área de Gestão e Regulação de Recursos Hídricos, a ANA solicitou auxílio à CAPES para a criação de um Mestrado Profissional com esta temática.

Iniciou-se a partir de então um diálogo entre atores do SINGREH e grupos de pesquisa em recursos hídricos de diversas universidades no Brasil, a fim de elaborar uma proposta de curso.

Assim, no dia 3 de dezembro de 2014, foi realizado na sede da CAPES em Brasília o primeiro Workshop sobre Mestrado Profissional em Gestão e Regulação de Recursos Hídricos, que tinha como finalidade propiciar a atualização e ampliar o debate sobre a temática de Gestão e regulação de recursos hídricos, de modo que somada a experiência dos meios acadêmicos, estimulasse a orientação para a preparação de uma proposta de curso de Mestrado Profissional em Rede Nacional nesta área.

O objetivo principal desta iniciativa conjunta da Agência Nacional de Águas – ANA– e da CAPES era de proporcionar formação ampla aos alunos, aliando teoria e prática, de modo a aumentar a eficácia de sua atuação na área de recursos hídricos, com a compreensão e incorporação das dimensões relacionadas à gestão integrada dos recursos hídricos, tais como: qualidade e quantidade, aspectos legais, institucionais e ambientais, disponibilidades hídricas, de regulação, entre outros. Espera-se que o discente desenvolva habilidades, atitudes e valores que aprimorem suas competências pessoais e profissionais e o melhor qualifiquem para lidar com os problemas associados às questões complexas da gestão das águas.

A opção por um mestrado profissional considera o fato de que esta modalidade deve proporcionar o oferecimento de subsídios teórico-conceituais e metodológicos aos profissionais, aprimorando seu desempenho, a partir de uma atuação mais crítica, reflexiva e criativa nos seus ambientes de prática profissional e neste caso, deve ser então uma estratégia de produção de conhecimento sobre Recursos Hídricos a partir da problematização das práticas hoje envolvidas na formação de profissionais, especialmente no âmbito dos Estados e municípios e a criação de um mestrado profissional em rede nacional ampliaria o alcance dessa iniciativa.

Cooperação e Intercâmbio

Ressalta-se que a ANA apoiou a elaboração dessa proposta e está comprometida com a sua implementação, disponibilizando dados, estrutura, capacidade técnica e recursos financeiros a fim de contribuir para a sustentabilidade dessa iniciativa, conforme manifestação apresentada em anexo. Espera-se também contar com o apoio das Fundações de Apoio à Pesquisa nos Estados e em âmbito nacional, tais como CNPq e FINEP.

Deve-se salientar também que foi feita uma articulação com o Institute for Water Education, ligado a UNESCO – UNESCO-IHE. Essa instituição representa o maior estabelecimento internacional de ensino na área de recursos hídricos em nível de pós graduação e, tem, dentre diversos objetivos, desenvolver capacidades educacionais para aumentar o conhecimento e as habilidades dos profissionais que trabalham no setor de água.

A UNESCO-IWE, em quase 60 anos de funcionamento, já formou em nível de pós-graduação cerca de 15.000 profissionais que atuam com água em mais de 160 países.

Umas das possibilidades que surgem com a cooperação com o IHE-UNESCO é o intercâmbio de docentes e discentes, para o desenvolvimento de atividades específicas ligadas ao mestrado profissional.

--